Terça Tem Teatro recebe duas montagens da Cia. Lusco-Fusco no Itaú Cultural

Ilhada em Mim (Foto: Jennifer Glass)

ilhadaemim_2014_JENNIFERGLASS_FOTOSDOOFICIOCaixa Cubo e Musica de Selvagem17102014-IMG_2483 fotos do oficio jennifer glass

Ilhada em Mim (foto: Jennifer Glass)

O Terça Tem Teatro, projeto do Itaú Cultural, recebe duas montagens nessa semana. A Cia. Lusco-Fusco, com direção de André Guerreiro Lopes e direção de cena de Rafael Bicudo apresenta Ilhada em Mim e Livro da Grande Desordem e da Infinita Coerência.

No dia 9, a peça é Ilhada em Mim, baseada nos escritos pessoais da poetisa norte-americana Sylvia Plath, que se suicidou aos 30 anos. O espetáculo foi indicado ao Prêmio APCA de Melhor Direção, em 2014. O texto é de Gabriela Mellão. Ilhada em mim retrata as depressões da escritora e a conflitiva relação com o poeta inglês Ted Hughes.

A obra passeia entre um tipo de loucura que se avizinha da sabedoria e uma lucidez só possível em mentes geniais. Entregue em seu universo particular, a poetisa, que cometeu suicídio aos 30 anos, materializa experiências reais e imaginárias, regida pela força destrutiva e lírica que orientou sua vida. Ilhada em Mim é sobre o desespero gerado pelo mais intenso amor, uma paixão que durou e consumiu uma vida, o compromisso de alma com uma arte vanguardista e verdadeiramente revolucionária, a obsessão pelo esvair do tempo, o desejo sincero nunca atingido de ser mulher, amante, artista, filha e mãe, de ser uma mulher inteira.

No dia 10, o espetáculo apresentado é Livro da Grande Desordem e da Infinita Coerência, parte do romance autobiográfico Inferno e de fragmentos da peça Um Sonho, ambas do dramaturgo e pintor August Strindberg. O espetáculo estreou em 2013, tendo feito temporadas na capital e no interior, além de participar de mostras e festivais.

Livro da Grande Desordem e da Infinita Coerência (foto: Gabriel Chiarastelli)

Livro da Grande Desordem e da Infinita Coerência (foto: Gabriel Chiarastelli)

No palco, as atrizes Helena Ignez e Djin Sganzerla, e os atores Eduardo Mossri e André Guerreiro Lopes, que também assina a direção, se unem ao músico Gregory Slivar para compor um mosaico visual e sonoro, que materializa os estados mentais e a investigação interior do autor sueco, seus desvios, dúvidas e descobertas. Com uma imagem de sombra silhuetada ao fundo do palco, Slivar toca piano, clarinete, cello e faz efeitos digitais, criando uma sonoridade que se funde com imagens de vídeo e encenação do elenco, representando o momento da criação artística.

Serviço: Ilhada em Mim e Livro da Grande Desordem e da Infinita Coerência
09/08, 20h – Ilhada em Mim
10/08, 20h – Livro da Grande Desordem e da Infinita Coerência
Direção: André Guerreiro Lopes. Direção de cena: Rafael Bicudo. Com Cia. Lusco-Fusco.
Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149.
Ingressos: Grátis (distribuídos com uma hora de antecedência). Duração: 75 min.
Em cartaz nos dia 09 e 10 de agosto de 2016.