Confira os espetáculos da MITsp 2016

Cinderella de Joël Pommerat (Foto: Cici Olsson/Divulgação)

A MITsp – Mostra Internacional de Teatro de São Paulo realiza a sua terceira edição entre os dias 4 e 13 de março de 2016. Esse ano, 10 espetáculos integram a mostra e o Enteatro te conta quais são:

Programação internacional:

  • ABERTURA da mostra – Cinderela (França) – de Joël Pommerat, no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer;
  • Ça ira (França) – de Joël Pommerat, no Sesc Pinheiros;
  • Natureza Morta (Grécia) – de Dimitris Papaioannou, no Sesc Vila Mariana;
  • A Carga (Congo) – de Faustin Linyekula – Studios Kabako, no Itaú Cultural (espetáculo gratuito);
  • (A)Polônia (Polônia) – de Krzysztof Warlikowski – Cia Nowy Teatr, no Sesc Pinheiros;
  • 100% São Paulo (Alemanha/Brasil) – de Helgard Haug, Daniel Wetzel e Stefan Kaegi – Cia Rimini Protokoll, no Theatro Municipal de São Paulo;
  • Revolting Music – Inventário das Canções de Protesto que Libertaram a África do Sul (África do Sul) – de Neo Muyanga, no Centro Cultural São Paulo;
  • An Old Monk (Bélgica) – de Josse De Pauw com composições de Kris Defoort baseadas em Thelonious Monk, no Sesc Bom Retiro.

Estreias nacionais:

  • A Tragédia Latino-Americana, de Felipe Hirsch e Ultralíricos, no Sesc Consolação;
  • Cidade Vodu, do Teatro de Narradores, espetáculo itinerante na Vila Tororó.

Além dos espetáculos, as atividades reflexivas e formativas são os outros dois pilares da MITsp. Os eixos Olhares Críticos e Ações Pedagógicas se renovam na intenção de potencializar o encontro entre o espectador e a obra criativa, e fomentar a reflexão e o olhar crítico sobre os trabalhos. Confira alguns destaques:

  • Residência artística com o diretor russo Yuri Butusov (a atividade ocorre entre 15 de fevereiro e 5 de março, de segunda a sexta, em lugar e horário ainda não divulgados. Cada encontro dura cinco horas.Os interessados em se inscrever devem mandar uma carta de intenção e um currículo para inscricoes@mitsp.org, entre os dias 29 de janeiro e 9 de fevereiro. Os selecionados serão avisados por e-mail.);
  • O uso da luz na cena contemporânea: a mesa pretende discutir e problematizar o uso da luz na criação e ampliação de significados na cena contemporânea. Com os iluminadores e/ou diretores técnicos Guilherme Bonfanti (Teatro da Vertigem), Beto Bruel (Ultralíricos), Emmanuel Abate (Joël Pommerat) e Felice Ross (Warlikowski).

A mostra deste ano ainda traz dois eventos especiais:

Aberturas de Processo

  • Abertura de Processo com a mundana companhia. Na Selva das Cidades – Em Obras;
  • Abertura de processo com o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos: Brasil-Polônia Encontros, com a presença do diretor polonês Radek Rychcik;
  • Abertura de Processo com o coreógrafo e bailarino Cristian Duarte: Laboratório Ó.

Lançamento de livros – Edições Funarte

  • Stanislávski: vida, obra e sistema – Aimar Labaki e Elena Vássina;
  • Luiz Carlos Ripper: poesia e subversão – Heloisa Lyra Bulcão;
  • Memória a dois – Sergio Britto e Paulo Brito;
  • O Teatro do Estudante do Brasil de Paschoal Carlos Magno – Fabiana Fontana;
  • Teatro Duse – O primeiro teatro-laboratório do Brasil – Diego Molina.

Para mais informações, como as datas e os horários de cada espetáculo, acesse o site oficial da mostra em www.mitsp.org.


Sobre Guilherme Udo

Atualmente cursa Direção na SP Escola de Teatro. É Mestre em Comunicação pela Universidade Paulista; especialista em História da Arte pelo Claretiano, em Língua Portuguesa pela AVM, e em Educação, Comunicação e Tecnologias em Interfaces Digitais pela UniSEB; graduado em Comunicação Social – Rádio e TV pelo Centro Universitário Belas Artes e técnico em Arte Dramática (ator) pela Escola Incenna.